Jogos Paralímpicos

Fazem parte das instituições beneficentes, filantrópicas e religiosas que o SINIBREF assessora e representa, as que trabalham na pauta da inclusão social, nos direitos da pessoa com deficiência e na construção de uma sociedade justa e igualitária.

Entre os dias 24 de agosto e 5 de setembro, serão celebrados os Jogos Paralímpicos de Verão na cidade de Toquio – Japão, com a participação de mais de 5 mil atletas disputando 22 modalidades. O Brasil será representado por 253 atletas que participarão de 20 modalidades.

No Brasil, segundo Censo do IBGE existem aproximadamente 4 mil instituições especializadas no ensino e atendimento a todos os tipos de deficiência; há mais de 340 mil pessoas.

A prática do esporte promove o aumento da autoestima, é um importante estímulo a inclusão e valorização das pessoas com deficiência. Acompanhe a performance de nossos atletas, suas histórias de superação, e apoie as instituições que trabalham para que eles continuem em suas jornadas vitoriosas.

A história

Os Jogos Paralímpicos foram criados por Sir Ludwig Guttmann, médico judeu que fugiu da Alemanha Nazista para a Inglaterra, lá abriu um centro para tratamento de lesões na espinha o Stoke Mandeville Hospital. A primeira edição do Stoke Mandeville Games – predecessor das Paralimpíadas – foi realizado em 29 de julho de 1948, entre 16 militares feridos e mulheres competindo no arco e flecha.

O Stoke Mandeville Games mais tarde se tornou os Jogos Paralímpicos e sua primeira edição foi realizada na cidade de Roma, Itália, no ano de 1960 e contou com a participação de 400 atletas de 23 diferentes países.

Em 1989 foi fundado o Comitê Paraolímpico Internacional para atuar como órgão dirigente global do Movimento Paraolímpico.

Fontes: https://asidbrasil.org.br/http://www.planalto.gov.br/ https://olympics.com/tokyo-2020/en/paralympics/, Censo IBGE, https://ge.globo.com/paralimpiadas/.

Importante: Este site faz uso de cookies que podem conter informações de rastreamento sobre os visitantes.