SINIBREF Interestadual apoia esta ideia: Organizações filantrópicas e empresas que investem no terceiro setor criam rede colaborativa

Organizações filantrópicas e empresas que investem no terceiro setor criam rede colaborativa

Curitiba, capital do Paraná, tem agora uma rede organizada que reúne investidores sociais privados. A intenção da Rede de Investidores Sociais (RIS) é fomentar o debate sobre o terceiro setor e negócios sociais e estimular o investimento privado em iniciativas que objetivem a transformação e o avanço social em temáticas como saúde, educação, moradia e cultura.

A RIS surge com o apoio da organização semelhante de nível federal, o Grupo de Institutos, Fundações e Empresas – GIFE –e é a primeira organização de cidade que pensa em reunir, exclusivamente, investidores sociais. “Entende-se por organizações, aquelas sem fins econômicos e lucrativos, além de empresas, que realizam investimentos sociais em benefício da sociedade”, explica Eliziane Gorniak, diretora do Instituto Positivo e articuladora da criação da RIS.

Os propósitos desta rede envolvem apoio mútuo visando o fortalecimento de organizações e colaboradores que atuam no setor, inspiração e estímulo às lideranças empresariais fomentando a cultura do investimento social privado e apoio mútuo visando a consistência das ações realizadas em benefício da comunidade. A rede se reúne regularmente e promove a troca de experiência e informações do setor, além de proporcionar um ambiente promotor de parceria entre os membros e potencial ampliação de iniciativas de largo impacto social.

O Instituto Legado participa e apoia a RIS. O Legado, de forma particular, investe em três frentes: um projeto anual de capacitação e financiamento (anualmente a organização capacita 20 ONGs e financia os três melhores projetos), a primeira pós graduação em negócios sociais do sul do país e uma rede sólida formada pelas 80 organizações capacitadas, em 4 anos de existência.

Fonte: Escola Aberta Terceiro Setor